Linhas de Investigação

 

Linha 1- Pessoa, Saúde, Ambiente e Enfermagem

Objeto


A linha Pessoa, saúde, ambiente e enfermagem centra-se no apoio a estudos que visem expandir o conhecimento da ciência de enfermagem e recolher dados que permitam compreender as situações de saúde doença, tal como percecionadas pelas pessoas que nelas participam. Incentiva e dá apoio ao desenvolvimento de estudos relacionados com o ser humano através de uma abordagem holística. A linha visa essencialmente incentivar investigadores que pretendam estudar assuntos que estejam para além da mensuração e quantificação, especialmente os relacionados com significados, experiências e valores humanos relacionados com a saúde e a enfermagem. A linha irá fornecer orientação para o desenvolvimento de estudos de investigação em áreas tais como: sentimentos, emoções, experiências corporais ou existenciais e relações interpessoais enfermeiro/utente, nos contextos de saúde doença em que ocorrem. Procura dar especial atenção a aspetos que têm vindo a emergir mais recentemente e assumir uma importância científica assinalável. Refere-se, nomeadamente: (1) aceder ao mundo interior vivido pelas pessoas para descrever a sua essência, permitir uma melhor compreensão do que é Ser humano, e identificar as necessidades de cuidados de enfermagem na perspetiva da pessoa individual ou do grupo (família e comunidade), perseguindo os mais elevados níveis de satisfação; (2) produzir “guidelines” baseados na evidência científica.

Objetivos: considerar os quatro conceitos do metaparadigma de enfermagem como unidades de análise privilegiados para o desenvolvimento de projetos de investigação; aplicar os contributos específicos das teorias de enfermagem, nas perspetivas dos diferentes paradigmas na prática da investigação.

.

Projetos em Desenvolvimento


– Influência do programa desportivo “Viver melhor” na qualidade de vida do idoso
– “Sem Rótulo” – Atitudes dos enfermeiros e dos estudantes de Enfermagem, face à doença mental

 

Trabalhos Concluídos


– Necessidades do Idoso Dependente no Domicílio Após Alta Hospitalar
– A construção atitudinal de jovens em contexto de acolhimento. Estudo exploratório
– Relação Enfermeiro-Idoso: valores e crenças

Coordenador: Ana Quesado

 

Linha 2 – Educação em Saúde

Objeto


A linha de Educação em Saúde centra-se no estudo das problemáticas que envolvem todos os componentes do processo da educação. Desenvolve um trabalho global e sistemático de reflexão, investigação e intervenção, direcionando o seu interesse para todos os componentes do processo educativo tais como: relação  pedagógica; conteúdos programáticos; métodos e técnicas de ensino, estudantes, docentes e recursos (materiais e organizacionais), tendo em vista a promoção do conhecimento científico nesta área. Esta linha privilegia a realização de iniciativas (ações de formação, encontros, conferências, seminários, e palestras), com o objetivo de refletir sobre a produção científica nestes domínios e a sua aplicabilidade à realidade da escola.

Objetivos: considerar todos os componentes da educação em enfermagem como unidades de análise privilegiadas para o desenvolvimento de projetos de pesquisa; aplicar os contributos específicos das teorias da educação, da gestão escolar e suas diferentes abordagens na prática da investigação e da educação; promover a aplicação de metodologias quantitativas e qualitativas na pesquisa; orientar os resultados da investigação para a intervenção nas dinâmicas da escola.

.

Projetos em Desenvolvimento


– Par-a-par com a Saúde
– Desenvolvimento das competências psicossociais do estudante de enfermagem ao longo do seu percurso formativo
– Formação de estudantes em ensino clínico: intervenção supervisiva do tutor

Trabalhos Concluídos


– Avaliação da Concretização dos Objetivos do Processo de Bolonha pelos estudantes do 1º Ciclo de Estudos do Curso de Licenciatura em Enfermagem da Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha Portuguesa de Oliveira de Azeméis
– A Avaliação da Prática Clínica dos Estudantes de Enfermagem
– A Formação de Supervisores para a Supervisão em Ensino Clínico
– Impacto de um plano de intervenção para a promoção de hábitos alimentares e estilo de vida saudáveis
– Desenvolvimento de competências psicossociais do estudante de enfermagem ao longo do seu percurso formativo
– Promoção da Saúde Mental na Comunidade Académica da ESEnfCVPOA

Coordenador: Fernanda Príncipe

.
Linha 3- Saúde da Família e Comunidade


Objeto

A linha de investigação Saúde da Família e Comunidade assume-se como um espaço de reflexão e estudo das dinâmicas da família, grupos e a comunidade da área envolvente, admitindo que estes são pontos fulcrais no desenvolvimento da região e do País. Dentro desta perspetiva abrangente pretende-se estudar em profundidade os aspetos mais relevantes relacionados com o desenvolvimento das atividades na família, na escola, no trabalho, em instituições e o seu contributo na promoção de saúde das famílias e da comunidade.

Objetivos: considerar a família e a comunidade como unidades de análise privilegiadas para o desenvolvimento de projetos de pesquisa; aprofundar o conhecimento e identificar formas de intervenção da escola, no trabalho, em instituições, na promoção da saúde das famílias e da comunidade envolvente; partir do estudo exaustivo do território, para identificar e refletir sobre as dinâmicas e determinantes em saúde; intervir junto da população e das instituições da região, no sentido de incentivar a reflexão sobre a temática e abrir caminho para o estabelecimento de parcerias, destinadas a criar ganhos em saúde.

.

Projetos em Desenvolvimento


– Consumo de Álcool nos Estudantes do Ensino Superior
– Cidadania em Saúde: Perceção e Exercício

Trabalhos Concluídos


– Diagnóstico da situação de saúde da população do concelho de Oliveira de Azeméis
– Diagnóstico da situação de saúde da população do concelho de Aveiro
– Diagnóstico da situação de saúde da população do concelho de Espinho
– Par-a-par Sem Consumos Aditivos
– Diagnóstico das necessidades dos cuidadores informais de utentes dependentes do Concelho de Santa Maria da Feira
– O cuidado em enfermagem a pessoas idosas dependentes: cuidados domiciliares, hospitalares e continuados
– Promoting the quality of nursing home care to dependent older persons
– Promover a qualidade de cuidados de enfermagem a pessoas idosas em Unidades de Cuidados Continuados
– A perceção dos Estudantes de Enfermagem perante a Morte em Ensino Clínico
– A qualidade de vida das mulheres na pós-menopausa
– Cidadania em Saúde: Perceção e Exercício
– Consumo de álcool nos estudantes do ensino superior
– Percurso Profissional do Licenciado na ESEnfCVPOA
– Ser cuidador familiar masculino da pessoa dependente
– Transição para a parentalidade com o nascimento do 1º filho

Coordenador: Manuela Ferreira

 

Linha 4- Sistemas e Tecnologias da Informação & Simulação


 

Objeto

A linha de investigação Sistemas e Tecnologias da Informação & Simulação (STIS) assume-se como uma área com especial interesse em estudos associados aos sistemas e tecnologias da informação da saúde, na sua vertente de desenvolvimento, análise e implementação. É assim domínio de aplicação desta linha de investigação os sistemas e tecnologias de informação ligados à saúde em todas as suas dimensões: sistemas de documentação, sistemas de apoio à tomada de decisão clínica, segurança informática, avaliação de sistemas e tecnologias de informação que visem a promoção da saúde, a prevenção e a gestão da doença, que podem estar também associadas à simulação, valorizando-se assim o espírito inovador e empreendedor ligado ao desenvolvimento desta área. No domínio da simulação, para além de valorizar-se a simulação ligada à saúde, é também nuclear nesta linha de investigação a simulação enquanto estratégia que vise a melhoria das metodologias de ensino-aprendizagem e, ainda, o desenvolvimento de tecnologias que contribuam para a agilização de todos estes processos.

Objetivos: desenvolver sistemas de apoio à tomada de decisão clínica na gestão da doença; avaliar os sistemas de informação em uso no sentido da melhoria contínua das práticas clínicas; avaliar a segurança dos sistemas de informação; avaliar as práticas simuladas; desenvolver boas práticas nos contextos de simulação; implementar práticas de simulação de alta-fidelidade nos currículos dos estudantes; desenvolver prática simulada em ambiente virtual.

 

Coordenador: Liliana Mota