Licenciatura

.

LICENCIATURA EM ENFERMAGEM (1º CICLO)

Objectivos do Ciclo de Estudos


O ciclo de estudos tem por finalidade assegurar que os Estudantes adquiram uma sólida formação científica, técnica, ética e relacional adequada à prestação de cuidados de enfermagem aos diferentes níveis de prevenção, dirigidos ao indivíduo, à família e à comunidade, por forma a que no fim do 1º ciclo de estudos fiquem habilitados a:

  • Prestar e gerir cuidados de enfermagem gerais à pessoa ao longo do ciclo vital, à família, aos grupos e comunidades, aos três níveis de prevenção em saúde (primária, secundária e terciária);
  • Participar na gestão dos serviços, unidades ou estabelecimentos de saúde;
  • Participar na formação de enfermeiros e de outros profissionais de saúde;
  • Desenvolver competências e práticas inovadoras na área da formação e educação para a saúde;
  • Utilizar adequadamente as tecnologias da informação e comunicação em enfermagem;
  • Colaborar no desenvolvimento da profissão pelo pensamento crítico e investigação;
  • Desenvolver a prática de investigação científica no âmbito da Enfermagem, em particular, e da Saúde, em geral;
  • Exercer enfermagem pautada pelos valores da profissão e princípios da Cruz vermelha, Direito Internacional, convenções de Genebra e protocolos adicionais.

.

A desagregação desta finalidade em objectivos educacionais tem em consideração as 96 competências que a Ordem dos Enfermeiros Portugueses estabelece para o enfermeiro de cuidados gerais..

Formar enfermeiros com capacidade para participar na gestão de serviços de enfermagem, no ensino relacionado com a respectiva área de trabalho e em trabalhos de investigação em enfermagem.

Formar enfermeiros aptos para o exercício da sua profissão, no respeito pelos princípios e actividades da Cruz Vermelha.

.

Princípio Orientadores


Dado o carácter universal do cuidado humano consideramos da máxima importância educar/formar os nossos estudantes segundo o código deontológico profissional da Ordem dos Enfermeiros e demais legislação em vigor. Constituem também marcos de referência, na formação por nós ministrada, os princípios da Cruz Vermelha, o Direito Humanitário Internacional e as Convenções de Genebra e protocolos adicionais.

Os princípios pedagógicos assentam numa noção de formação que evoca uma intervenção profunda e global provocando no indivíduo um desenvolvimento nos domínios intelectual, físico e afectivo, bem como uma mudança nas estruturas correspondentes a estes domínio de tal modo que este desenvolvimento seja integral que faça de cada estudante um profissional capaz de responder a cada nona situação que o contexto profissional implica.

Atendendo às rápidas transformações técnicas-científicas e, tendo presente o contributo das ciências humanas para o exercício da profissão, valorizaremos a auto-formação a concretizar por cada estudante.

Procuraremos criar nos estudantes a consciência de que a frequência de uma Escola Superior requer criar o gosto pelo saber, pela investigação assumida uma atitude crítica e responsável face à problemática com que se depara, com à criatividade na procura de soluções.

Neste contexto, torna-se importante fomentar e valorizar o trabalho de grupo a fim de desenvolver atitudes de interacção e cooperação indispensáveis à realização de um trabalho em equipa, que favoreça a multidisciplinaridade inerente ao processo de cuidar.

É de salientar a pertinência e a vantagem de possuir um leque de conhecimentos abrangentes que permita a resolução de situações e ou de problemas no âmbito da saúde num contexto sócio-cultural diversificado, tendo como base a transculturalidade.

Valorizamos o saber ser, fomentando a criação de relações humanas, cordiais e afáveis geradoras de um clima de trabalho favorável ao desenvolvimento do potencial humano de cada elemento da comunidade educativa.

Em síntese, pretendemos com a Licenciatura em Enfermagem transformar cada estudante num perito em humanidade e num profissional competente a nível técnico e científico, que fará dele um cidadão crítico capaz de inovar e ser criativo.

.

Aspetos Fundamentais do Quadro de Referências


Conscientes da perspectiva holística do homem que as ciências humanas nos fornecem, tivemos como base o conceito de saúde que considera a saúde o equilíbrio e harmonia de todas as possibilidades da pessoa humana, biológicas, psicológicas e sociais. Este equilíbrio exige por um lado, a satisfação das necessidades fundamentais do Homem, que são qualitativamente as mesmas para todos os seres humanos (necessidades afectivas, nutricionais, sanitárias, educativas e sociais) e, por outro lado uma adaptação contínua, do Homem em relação ao meio ambiente em perpétua mutação.

Sendo a enfermagem uma profissão da área da saúde, esta tem como objectivo o “cuidar da pessoa humana” de modo a responder às suas necessidades básicas, de forma a manter ou restabelecer o equilíbrio homeostativo do indivíduo, família ou comunidade.

Neste sentido podemos definir cuidados de enfermagem como sendo o modo de ajudar a realizar actividades que contribuam para a manutenção, recuperação e promoção da saúde tais como: aliviar o sofrimento, assistir nas situações críticas e assegurar a dignidade no período do fim de vida, tal como define a Ordem dos Enfermeiros procura-se ao longo de todo o ciclo vital, prevenir a doença e promover os processos de readaptação, procurar a satisfação das necessidades fundamentais e a máxima independência na realização das actividades de vida. Procura-se a adaptação funcional dos défices e a adaptação a múltiplos factores – frequentemente através de processos de aprendizagem do cliente.

No seu sentido mais geral, poderemos sistematizar a acção do enfermeiro nas seguintes funções:

  1. Participação nas acções de manutenção e promoção da saúde, prevenção de doenças e acidentes, de readaptação funcional e (re)socialização;
  2. Contribuição para a melhoria da qualidade e eficácia dos cuidados de enfermagem e para o desenvolvimento da profissão;
  3. Suporte e/ou substituição nas actividades de vida diária;
  4. Ajuda nas medidas de diagnóstico, terapêuticas e preventivas;
  5. Acompanhamento nas situações de crise e no período de fim de vida;
  6. Realização de programas de investigação no âmbito das ciências de enfermagem, colaborando igualmente em programas de Investigação na área da saúde.

.

O Enfermeiro pode exercer a sua atividade em…


(no setor público ou privado ou ainda como empresário ou em regime liberal)

  • Instituições de ensino;
  • Centros de formação em saúde;
  • Centros de saúde;
  • Hospitais;
  • Clínicas de saúde;
  • Maternidades;
  • Lares de Idosos;
  • Residências de Idosos;
  • Jardins-de-infância e creches;
  • Gestão de serviços de Saúde;
  • Centros de Investigação e Desenvolvimento;
  • Desporto Amador e Desporto Profissional;
  • Nas Empresas em Geral no Âmbito da Saúde ocupacional;
  • Nos Hospitais Psiquiátricos e Centros de Saúde Mental;
  • No Sistema Prisional.

 

Plano de Estudos


O Grau de Licenciado é conferido aos que, através da aprovação em todas as unidades curriculares que integram o plano de estudos, tenham obtido o número de créditos fixado (240 ECTS).

Plano de Estudos – Aviso n.º 7221/2016, de 7 de junho

.

Acreditação do Curso pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior


N.º do Processo: CEF/0910/27421

Data da Publicação: 08-05-2012

Número de Anos de Acreditação: 6

 

Registo de Adequação do 1º Ciclo de Estudos do Curso de Licenciatura em Enfermagem


Despacho n.º 6543/2008, 6 de Março

Ultima atualização: 2017-07-10